Projeto Pedagógico

Justificativa

A OSSA atende crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade. Em seus quase 15 anos de atividade, vem contribuindo para a transformação de vidas. Os moradores do bairro periférico Jardim União, em Curitiba, são os interlocutores imediatos da OSSA. Por si só tais asserções já se justificam, uma vez que onde tem risco de proteção básica há necessidade de ações pedagógicas, culturais, cidadãs e espirituais de transformação. Para realizar um trabalho significativo, que contribua e possibilite às crianças, adolescentes e seus familiares o exercício da cidadania, da solidariedade e do diálogo, é necessário investimento sério e responsável na equipe de educandos, funcionários e colaboradores voluntários da OSSA. Investimento que valorize o profissional que atua frente à realidade, proporcionando-lhe uma remuneração adequada, tendo em vista, a formação acadêmica, os reajustes salariais (dissídios) realizados pelos sindicatos e a qualidade no trabalho. Non que se refere às ações pedagógica a OSSA desponta como instituição de referência, preocupada com a integralidade da pessoa humana e com os valores humanos. Procura, assim, inaugurar um modelo de prestação de serviço social baseado na participação dos usuários, qualificação profissional, competência na gestão e fidelidade à missão, visão e valores da instituição.

Objetivo

Atender crianças e adolescentes, através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e de acordo com a missão, visão e valores da OSSA, de segunda a quinta-feira, promovendo ações socioeducativas que favoreçam o fortalecimento de vínculo, o sentido de pertença à comunidade, a abertura ao transcendente e o desenvolvimento humano que contribua para a redução da exposição dos usuários às situações de risco e vulnerabilidade social.

Principais Ações (programas e oficinas)

Metodologicamente, a Obra Social Santo Aníbal trabalha com programas, oficinas e interação entre crianças, adolescentes, familiares, equipe gestora, educadores e comunidade. Atualmente desenvolvemos três programas que abrangem áreas de inserção cidadã, cultural, fortalecimento de vínculos, compromisso social e sentido de pertença à comunidade, meio ambiente e abertura ao transcendente: 1) arte, cultura, cidadania e compromisso social; 2) fortalecimento de vínculos relações interpessoais; 3) cuidado com o meio ambiente e abertura ao transcendente. Cada programa desenvolve oficinas de acordo com objetivos próprios, sempre em consonâncias com os objetivos geral e específicos deste projeto. Dedicamos mais oficinas ao segundo programa por se tratar de uma prioridade. Essas oficinas têm duração aproximada de dois meses e cada uma delas deve ser finalizada com alguma mostra ou atividade que envolva o público externo à OSSA, ou melhor, as famílias dos usuários de nossos serviços e representantes dos nossos parceiros. Para cada programa, traçamos objetivos e resultados esperados, bem como indicamos oficinas e algumas das atividades nelas realizadas.

  • Programa de arte, cultura, cidadania e compromisso social

Objetivo do programa

Oferecer oficinas culturais que fomentem a participação cidadã, a consciência crítica e a capacidade de protagonismo das crianças e adolescentes atendidos.

Oficinas

Criatividade e Artesanato

Oferecem-se instruções para confeccionar objetos artesanais (origami, brinquedos alternativos, pinturas em tela, cartões de aniversario ou de datas comemorativas, desenhos em sala, colagem, confecção de mosaicos) e a construir diálogos (através de rodas de conversas, leituras de livretos específicos) em vista do estímulo da criatividade das crianças e adolescentes envolvidos. No final, faz-se uma mostra dos objetos artesanais e cada criança presenteia alguém com tais objetos. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Teatro e corporeidade

A educadora social oferece execução de jogos lúdicos de teatro por faixa etária, recitação de poemas-textos teatrais; exercícios corpóreos; trabalho com voz; execução de mímica; exposição teórica de conceitos teatrais; estudo dirigido de pequenas peças ou estórias de teatro; preparação de breves apresentações previamente agendadas; visita a grupos teatrais ou contatos com eles; visita a teatros ou arenas artísticas etc. Para isso, a educadora social se prepara vendo vídeos na internet, pesquisando em nossa sala de leitura livros de dinâmicas e usa todo o suporte dos nossos espaços com muita criatividade. Pode-se também se inscrever em cursos nesta área nos fins de semana para melhor se capacitar.

Musicalidade e interação

A educadora social propõe aquecimento de voz; identificação de timbres, ensaios de pequenas músicas de acordo com a idade; teste de voz em microfones; exposição teórica de conceitos musicais; estudo de letras (diversificadas, tal como a cultura brasileira) de músicas; apresenta as crianças e adolescentes músicas bonitas, com letras engrandecedoras e cheias de estímulo à criatividade; promove visita a bandas ou contato com grupos musicais; apresentações em eventos ou datas pontuais etc. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Visitas em organismos sociais e governamentais

Oferecem-se rodas de conversa sobre temas sociais (política, participação em órgãos públicos; explicação do que significam e o que oferecem os principais órgãos governamentais tais como Polícia Militar, Civil, Federal, Unidade de Saúde, SUS, Praça dos Poderes Públicos Municipais, Estaduais, Federais; explicação do que são ONGs, O que é a OSSA), visita pontuais e agendadas em alguns destes órgãos (igrejas, movimentos sociais, IPCC, FAS, Parques, Praças, Prefeitura, Câmara dos Vereadores, Palácio do Governo Estadual, Centro Cívico etc.). Pode-se também haver atividades como colagem, redações, concurso de oratórias, simulação de eleições entre as crianças e adolescentes para fomentar a cidadania. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Resultados

Espera-se que no fim deste programa as crianças e adolescentes tenham tido acesso à criatividade de elaborar algum objeto artesanal, estejam desinibidos por causa dos jogos teatrais e lúdicos, capazes de conhecer a diversidade cultural da música brasileira, e que os usuários estejam minimamente cientes do sentido e finalidade de alguns organismos governamentais e/ou sociais.

  • Programa de fortalecimento de vínculos e relações interpessoais

Objetivo do programa

Estreitar os laços de pertença e convivência entre as crianças e adolescentes com elas mesmas, com suas famílias e com os colaboradores da OSSA possibilitando o autoconhecimento, o sentimento valorização, autoestima e fortalecimento da inter-relação e a ajuda mútua.

Oficinas

Jogos lúdicos em grupo

A educadora social precisa desenvolver jogos a partir dos brinquedos da brinquedoteca e de acordo com a idade; deve fazer cessões de cinema com filmes que abordem temas que promovam a discussão da realidade, bem como filmes socioeducativos; realizar explicação teórica e prática da finalidade dos jogos da brinquedoteca de acordo com a idade; montar jogos artesanais; praticar com as crianças e adolescentes antigas brincadeiras infantis (amarelinha, esconde-esconde, peteca etc.); executar dança de roda e jogos recreativos de inclusão (nunca de competição). Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Dinâmicas e interação

A educadora social desenvolve dinâmicas recreativas e integrativas buscando o fortalecimento das relações entre as crianças e os adolescentes; criar novas dinâmicas a partir das crianças; estimular outras dinâmicas a partir da imaginação; ler de maneira coletiva e pessoal livros de dinâmicas; fazer com que as crianças e adolescentes façam em pequenos grupos as dinâmicas aprendidas etc. Nesta oficina, pode-se também chamar pessoas para fazer dinâmicas, interagir com as crianças. A educadora social pode vestir-se de um personagem (pica-pau, chapeuzinho vermelho, branca de neve, Saci) para ilustrar uma estória infantil ou adolescente. Pode também promover festinhas (à fantasia, encantada, trem da alegria etc.). Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Passeios lúdicos

A educadora social pode promover visitas programadas e agendadas para lugares que promovam a socialização e o envolvimento das crianças e adolescentes (casa de idosos, parques, museus, teatros, regiões de pobreza extrema, igrejas etc.); visita à família dos próprios integrantes do projeto em vista do fortalecimento dos vínculos; saídas para conscientização da comunidade a respeito do trabalho da OSSA; pode-se também estimular as crianças e adolescentes a fazerem alguma apresentação (teatral, de dança, de música etc.) nas escolas, nas praças ou em noutras turmas da OSSA. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Atividades físicas

Com a ajuda de estagiários ou dos conhecimentos próprios, a educadora social promove nesta oficina práticas do atletismo, do futebol, do handebol, do vôlei, de alongamento corporal, de caminhadas pontuais na quadra; exposição teórica da importância do esporte na vida; visita a museus de futebol, de vôlei; prática de esportes alternativos como capoeira, judô, caratê – quando possível. É viável também convidar grupos de capoeira ou alguns professores de educação corporal para falar sobre o funcionamento do corpo para as crianças etc. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Valores fundamentais

A educadora social promove exposição teórica e vivencial dos principais valores defendidos pela OSSA (acolhida e zelo; respeito à diversidade; fortalecimento das relações humanas; carisma; responsabilidade, justiça e sustentabilidade; comprometimento mútuo; ação político-participativa; ética, integridade e transparência) leitura de estórias que sensibilizam; visita a pessoas ou entidades para internalização de algum valor etc. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

Virtudes vitais

Nas rodas de conversa se promovem a internalização das principais virtudes humanas (justiça, solidariedade, amor, carinho, empatia, paciência etc.) através de exposição teóricas, jogos-brincadeiras experienciais, visita a ambientes vulneráveis; convite de pessoas para dar palestras sobre alguns atos éticos que acontecem em nossos dias; confecção de pinturas, colagens, montagem de pequenas apresentações-exposições a partir dos trabalhos desenvolvidos etc.

Fortalecimento de vínculos

A educadora social media atividades de diálogo entre as crianças em dupla a partir de um tema relacional (família, estudos, sexualidade, amor, amizade, carinho); pode-se também conversar sobre a resolução de conflitos entre as crianças e adolescentes; é possível realizar atividades de simulação de situações de dificuldade familiar e apresentação de soluções dadas pelas próprias crianças; a educadora social precisa promover com as crianças visita às suas famílias (crianças e adolescentes com as educadoras sociais, coordenadora pedagógica, assistente social e direção) etc. Para desenvolver essas atividades, a educadora social pode solicitar antecipadamente materiais, busca informações na internet, pesquisa livros em nossa sala de leitura e participa de eventos de capacitação.

  • Programa Cuidado com o meio ambiente e abertura ao transcendente

Objetivo do programa

Possibilitar a abertura humana à dimensão transcendente, com mente e coração, estimulando os educandos ao cuidado com a criação, com a natureza e com a vida em sua amplitude (pessoas-natureza-objetos).

Oficinas

Diálogos socioambientais

O(a) educador(a) propõe diálogos, rodas de conversa, momentos de desenho, pintura, encenação, passeios ou mesmo composição de músicas a partir de temas ambientais como reciclagem, cuidado com meio ambiente, poluição, desmatamento, degradação dos rios, extinção de animais fundamentais e da nossa fauna, tipos de agricultura e alimentos saudáveis, brincadeiras que estimulem a plantação de alguma árvore, cultivo da horta na casa da paz, entre outras atividades ambientais. Pode-se, também, entrar em contato com a secretaria do meio ambiente para convidar pessoas para vir à OSSA ou mesmo levar as crianças e adolescentes a parques ou exposições ambientais.

Espiritualidade Diária

Cada educadora prepara semanalmente a oração de entrada (na OSSA e na sala de convivência) considerando as diversas religiões e expressões de fé. Esta oficina contempla também a escolha, semanal, de temas de espiritualidade para ser trabalhado nas salas de convivência, a confecção de um cantinho de oração, o ensino das principais orações cristãs (Pai-Nosso, Ave-maria, Santo-Anjo, Salve-Rainha e outras orações que o educador julgar convenientes à espiritualidade cristã). Nesta oficina também são desenvolvidas atividades pontuais como preparação do mês das mães (dedicado á Maria também), celebração festiva da semana Santo Aníbal, vivência e organização da gincana bíblica, do mês missionário, programação especial na semana de ecumenismo e diálogo inter-religioso, festejos do Dia Internacional de Ação de Graças e das festividades do natal. Pode-se, também, desenvolver visitas á Igrejas ou ao Santíssimo Sacramento na capela Santo Aníbal.

Interiorização e Meditação

A educadora prepara momentos de silenciamento, contação de pequenas histórias bíblicas ou de ensinamento espiritual, ao som de música suave para meditação. Pode-se também sair das salas de convivência, fazer massagens ou dinâmicas de interiorização. Esta oficina também comporta o trabalho com músicas populares do Brasil, canção de ninar, dança circular, ou videoclipes espirituais que ajudem a despertar na criança ou adolescente a abertura para o transcendente, o equilibro entre sua vida pessoa, sua relação com os outros e com Deus.

Formação e celebrações especiais

Com a turma em sala, o(a) educador(a) pode  preparar momentos de mística e espiritualidade que envolva o meio ambiente (rezar do lado de fora com a turma, sentindo o vento, tocando terra, bebendo água pura, num poço artesanal, por exemplo), ler e meditar o livro do Genesis a partir de estorinhas, buscar fazer festinhas ou festivais em momentos pontuais como dia da árvore, dia do meio ambiente, dia da água, festival de beleza natural, exposição de fotos (tiradas ou pesquisadas pelos educandos) de cenas da natureza ou da degradação delas, construir poemas e redações sobre temas ambientais com a turma, promoção de encontro entre as turmas para apresentar os resultados do trabalho da turma etc.

Resultados

Espera-se, com estas iniciativas, que a criança ou adolescentes da OSSA tenha assimilado valores espirituais e socioambientais, vivenciado experiências que as conduzam a Deus, no sentido de abrir-se à realidade divina e possibilitar a integração entre as diversas turmas da OSSA.